Medicina Tradicional Chinesa

O poder do corpo humano de se autocurar era uma convicção fundamental na China Antiga há 5.000 anos. Os médicos chineses acreditavam que a saúde não era só a ausência de doenças, mas sim o equilíbrio harmônico de todos os órgãos internos, glândulas, e Sistemas Orgânicos. Eles acreditavam que a saúde poderia ser alcançada e mantida em parte por meio de ervas medicinais. Este sistema de atenção ao paciente evoluiu e tem sido aperfeiçoado através dos séculos no que denominamos atualmente de Medicina Tradicional Chinesa (M.T.C.).

A Medicina Tradicional Chinesa compreende que o Ser Humano é um microcosmo dentro do macrocosmo universal. Dessa forma, considera-se que os princípios que determinam o fluxo de energia através do universo são aplicáveis também ao sistema energético do Ser Humano.

Ao mesmo tempo em que a Medicina Tradicional Chinesa comprova ser eficiente como um sistema primário de atenção á saúde, ela também complementa e aumenta a eficiência das terapias ocidentais.

O objetivo das práticas terapêuticas baseadas na MTC é compreender os fatores que propiciaram ao indivíduo o seu desequilíbrio energético e tentar estabelecer a fluidez energética obtendo o equilíbrio. Para tanto, o seu diagnóstico (mais correta avaliação energética) procura estabelecer relações do seu comportamento, alimentação, analisa odores, transpiração, pulso, língua, condições da natureza que esteve exposto entre outras maneiras para determinar qual é o princípio de tratamento a ser realizado. Este tratamento energético pode ser obtido através de diversas práticas terapêuticas orientais:

 

Moxabustão


Técnica que consiste em aquecer os pontos, ativando o fluxo de Tchi. Também muito utilizado para expulsar o frio dos meridianos. 

 

 

 

Acupuntura

 

Técnica de inserir agulhas finíssimas em pontos específicos dos meridianos com o objetivo de restabelecer o fluxo natural de energia.

 

Mecanismo de ação da Acupuntura

A) A acupuntura altera a circulação sanguínea.
B) Promove a liberação de hormônios, como o cortisol e as endorfinas, promovendo a analgesia.
C) Ajuda a aumentar a resistência do hospedeiro. Quando há agressões externas (traumas, clima...), alguns sistemas orgânicos são prejudicados. Há uma regulação interna para oferecer resistência a doença. A acupuntura exacerba estes mecanismos para que em menos tempo o equilíbrio e a saúde seja restabelecidos. Muitas pesquisas revelam ser possível o estímulo do hipotálamo, da hipófise e de outras glândulas que atuam na recuperação.
D) Regula e normaliza as funções orgânicas
E) Promove o metabolismo

 

Fitoterapia

 

Através da utilização de plantas, propicia a ativação, eliminação e o fortalecimento do Tchi.

 

 

Massoterapia - Tui Na

 

Através de toques, pressões e deslizamentos, tem como objetivo equilibrar o fluxo energético.

 

 

Ventosa

 

Técnica que se utiliza de copos que produzem vácuo sobre uma determinada região (pressão negativa), promovendo assim que o sangue se superficialize, com isto desfaz a estagnação de sangue e energia.

 


Teoria Yin-Yang

 


Os fenômenos científicos devem ser observados atentamente para que seja possível desenvolver grandes teorias.

Geralmente, estes processos são divididos em cinco etapas: observação, análise, suposição, comprovação e conclusão.

Com a teoria Yin-Yang não foi diferente. Na China antiga, como foi mencionada anteriormente, as primeiras observações efetuadas levaram à conclusão de que a estrutura básica do ser humano era a mesma do universo. Então, todos os fenômenos da natureza foram classificados em dois pólos opostos: Yin- negativo, frio, noite, escuro etc. e Yang- positivo, calor, dia, claro etc.

Na tabela abaixo obtemos uma idéia melhor de Yin e Yang.


 

As conclusões a que os antigos chineses chegaram, através de estudos e observações, são bastante significativas. Nos tratados da Medicina Chinesa a Teoria Yin-Yang já era extensamente aplicada.
A Teoria abrange três itens:

a) Nos estados de tranquilidade, o Yin e o Yang estarão em harmonia; nos de agitação, o Yin e o Yang estarão em desequilíbrio.

b) Em nenhuma substância observar-se-á desenvolvimento (harmônico) se houver predomínio de Yin ou Yang isoladamente.

c) Em certas circunstâncias, o Yin poderá transformar-se em Yang e o Yang em Yin. Quando o Yin está em excesso, o Yang estará insuficiente. Ao contrário, estando Yin fraco, o Yang encontrar-se-à forte.

A relação de interdependência de Yin e Yang significa que cada um deles existe sob a dependência da presença do outro, sendo que nenhum deles pode existir isoladamente. Não teríamos dia se não houvesse noite; não teríamos frio se não houvesse calor. Portanto, podemos concluir que Yin e Yang estão ao mesmo tempo em oposição e interdependência.

 


Teoria dos Cinco Elementos

 

Originalmente na China, designava-se os cinco elementos de WU-HSING; sendo que WU significa cinco e HSING, andar.
Os cinco elementos são, na realidade, os elementos básicos que constituem a natureza: terra, metal, água, madeira e fogo. Existe entre eles uma interdependência e uma inter-restrição que determina seus estados de constante movimento e mutação.
Analisemos as tabelas:

a) Os cinco elementos e a natureza

 

 


b) Os cinco elementos e o corpo humano

 

 


Relações de geração mãe-filho e inibição dos cinco elementos

 

A noção de geração envolve o processo de produzir, crescer, e promover. Seguindo essa ordem, a madeira gera o fogo, o fogo gera aterra, a terra gera o metal, o metal gera a água e a água gera a madeira... Após a combustão da madeira, restam as cinzas, que são incorporadas a terra. Ao longo dos anos, a terra, sob o efeito de grandes pressões, produz os metais. E dos metais e rochas brotam as fontes de água. Por outro lado, a água dá vida aos vegetais, e gerando a madeira, fecha o ciclo da natureza. A esse tipo de relacionamento, onde cada elemento gerado dá existência ao outro elemento, os antigos denominavam relação mãe-filho.

 

 

Outro relacionamento entre os cinco elementos é o da inibição que traz implícita a idéia de combate, restrição e controle. A ordem dessa relação é que a madeira inibe a terra, a terra inibe a água, a água inibe o fogo, o fogo inibe o metal e o metal inibe a madeira. Na concepção antiga sobre a natureza, o metal tem a capacidade de cortar a madeira, e, as rochas e metais tem a capacidade de impedir o crescimento da raiz das árvores (madeira). A madeira cresce absorvendo os nutrientes da terra, empobrecendo-as, e as raízes das árvores, quando muito longas, perfuram e racham a terra. A terra por seu lado, impede que a água se espalhe, absorvendo-a. Que a água possa inibir o fogo é muito compreensível. O fogo inibe o metal, pois o metal é derretido pelo fogo. No relacionamento de inibição há duas facetas que apresentam também um aspecto direto e outro indireto. Por exemplo, a madeira é inibida pelo metal, mas ele inibe a terra. Nesse relacionamento de inibição entre os cinco elementos ainda existe inter-relacionamento direto ou indireto entre eles. Assim pode haver uma contra-inibição, na qual o inibidor pode ser inibido. Por exemplo, normalmente a água é inibidora do fogo, mas se o fogo apresentar-se intenso e a água em pouca quantidade haverá uma inibição da água. Para inibir, é necessário que o elemento esteja numa boa condição energética. Na Medicina Chinesa, a teoria dos cinco elementos e suas inter-relações aplicam-se a fisiopatologia das doenças.

 

Indicações para tratamento com MTC

 

A Organização Mundial da Saúde lista mais de 40 doenças para os quais a Medicina Tradicional Chinesa é indicada:

 

- Alterações Menstruais;  - Fibromialgia;
- Ansiedade;  - Gastrite;
- Asma;  - Insônia;
- Bronquite;  - Lombalgia;
- Cefaléias;  - Tendinite;
- Diarréia;  - Dores em Geral;
- Enxaqueca;  - Depressão, entre outras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcelo F de Carvalho