Shiatsu

 

Uma introdução atual

 

Shiatsu é uma abordagem terapêutica focada em promover o equilíbrio energético através de uma sequencia ritmada depressões corporais, geralmente feiras com os dedos ou palma das mãos. Energia é o ponto de vista dos antigos paradigmas orientais, e diz a respeito de uma energia da vida, a condição sanguínea e nervosa, os aspectos emocionais, o bem estar integral do Ser Humano. É por isso que o Shiatsu é considerado uma terapia completa.

 

A técnica possui também alguns diferenciais que podem dar a ela o mérito de ser um dos mais poderosos trabalhos já conhecidos. Primeiro, ele pode ser conduzido de maneira suave ou profunda, dependendo da constituição e necessidades do cliente. Segundo, enquanto as manobras do Shiatsu são executadas pelos terapeutas, ele é capaz de perceber as condições energéticas do cliente, e reagir com tratamento bastante específico e oferecer ao cliente um feedback bastante acurado. Finalmente, o Shiatsu é atualmente muito bem estudado pela ciência, e sua eficácia tem sido exaustivamente confirmada.

 

Pessoas que se tratam com Shiatsu relatam, independente do motivo de tratamento, melhor qualidade do sono, da atenção e da memória1. Sintomas secundários de tratamentos medicamentosos como Dores de Cabeça e enjôo também apresentam resultados no tratamento com Shiatsu. O Shiatsu tem sido bem sucedido como terapia complementar ao tratamento do câncer2. Os cientistas já sabem que o Shiatsu consegue ativar as células de defesa no corpo humano, que pode aliviar os sintomas da amenorreia, resolver quadros de incontinência urodinâmica por stress e atuar em dores causadas por esforço repetitivo3. Vem sendo empregado em bebês recém-nascidos com surpreendente sucesso em hospitais da Espanha4, conseguindo melhorar todos os índices relacionados a ganho de peso de prematuros.  O Shiatsu possui também ação comprovada na regeneração muscular, com efeito anti-inflamatório sobre articulações. Em alguns países da Europa, vem também sendo aplicado também em animais de grande porte, sendo opção assertiva em muitos tratamentos a cavalos de competição. Seus criadores investem pequenas fortunas nos tratamentos mais eficazes e encontram no Shiatsu grande satisfação para a saúde de seus equinos5. O Brasil experimenta o sucesso do Shiatsu como uma das chamadas técnicas integrativas, bem como técnica extraordinariamente útil nas psicoterapias. O Shiatsu sem dúvida é recomendado a toda a sorte de manifestações orgânicas psicossomáticas6.

 

O tratamento com Shiatsu na maior parte dos casos é experimentado como confortável, embora alguns estilos possam se fazer mais rígidos na aplicação de pressão sobre os pontos do que outros. Independente do método, o fenômeno da dor, quando aparece é trabalhado dentro de limites não patológicos. O Shiatsu pode ser praticado com roupas confortáveis, com a pessoa parcialmente vestida ou sem roupas, dependendo não apenas do método mas de fatores culturais, estratégias de trabalho e problemas a serem tratados. Na maior parte das vezes o Shiatsu é praticado em países frios com roupas estilo “moletom” e nos países tropicais com shorts e camisetas ou mesmo as roupas de baixo. O Shiatsu é quase sempre tido como atividade prazerosa, e que por isso mesmo gera grande adesão nos tratamentos. Tal fato facilita o sucesso do tratamento. O tempo de uma sessão é bastante variável, podendo serem executadas variações do Shiatsu voltadas a área laboral de apenas 15 minutos, enquanto que sessões mais longas podem chegar a 3 horas de duração. As sessões mais comuns, entretanto, levam entre 50 minutos e uma hora e meia.

 

Há diversos métodos ou estilos de Shiatsu, alguns com origem mais antiga (o Shiatsu surgiu no Japão no início do século XX), outros bastante novos. Há métodos que utilizam praticamente as mesmas teorias da acupuntura. Outros, são  mais focados na visão ocidental da fisiologia humana. Outros, em algum aspecto da vida, ou da energia vital, etc. As teorias conduzem a muitas variações de uma mesma prática básica, e portanto não são novas teorias, apenas métodos diferentes. O Shiatsu é uma terapia que segue se desenvolvendo, e em todo o mundo, os estudos transversais (onde praticantes do Shiatsu comparam e fundem a técnica conceitos da física, da psicoterapia, de outras terapias, etc.) possibilitaram nas últimas décadas o surgimento de diversas escolas ao longo do mundo. Dentre elas destacam-se os métodos Ko-ho (muito associado a prática de artes marciais); Namikoshi (o método oficial do Japão criado por Tokujiro Namikoshi), e o Zen-Shiatsu (estilo Yokai, de Shizuto Masunaga, batizado no ocidente como “zen-shiatsu” em função de seu livro mais famoso) e o Ohashiatsu (do mestre Wataru Ohashi, com movimentos mais fluídos). Os primeiros estilos genuinamente brasileiros estão profundamente ligados à psicologia e as emoções. Assim,  Osaki criou o Shiatsu Psicossomático, Karina Hirata o Shiatsu Integrativo e Arnaldo V. Carvalho o Shiatsu Emocional. Tal fenômeno, surgido em bloco nos 2000, revela uma tendência do Shiatsu no Brasil como de execução mais harmoniosa, com muita atenção no fator emocional que surge e é tratável também através da técnica. Mais do que uma terapia que cuida do corpo, Shiatsu cuida ATRAVÉS do corpo.

 

É importante dizer que nem todos os praticantes de Shiatsu o são profissionalmente. Muitos aprenderam o Shiatsu com suas famílias, sobretudo os nipo-descendentes, e nela realizam suas práticas. Outros aprenderam o básico do Shiatsu em nível elementar em cursos e workshops e também fazem disso uma prática de saúde familiar, tanto para problemas simples como para prevenção e bem estar.

 

Grupos de profissionais e não profissionais se reúnem pelo globo de forma organizada, por meio de associações e federações, como a Associação Internacional de Shiatsu e a Federação Europeia de Shiatsu. No Brasil, foi fundada em 2011 a ABRASHI - Associação Brasileira de Shiatsu – que reúne praticantes leigos e profissionais.

 

O Shiatsu está aí para ser aprendido e praticado em todos os níveis, pode ser associado a qualquer outra terapia ou mesmo intervenção médica, e acrescenta uma qualidade de vida inquestionável para todos os que a ele recorrem.

 


 

1. Segundo relatório da Federação Europeia de Shiatsu (2009)

2. O trabalho mundialmente reconhecido da Shiatsuterapeuta argentina Mercedes Avellaneda em pacientes portadores de câncer trouxe nova luz aos estudos sobre a atuação do Shiatsu nesse tipo de problemas.

3. Consultar artigos científicos do US National Library of Medicine National Institutes of Health

4. Pudemos conhecer o maravilhoso trabalho nos hospitais públicos de Madri através de seu principal organizador, Arturo Valenzuela.

5. Consultar The Equine Shiatsu Association (www.equineshiatsu.org/)

6. Odent, M. Gênese do Homem Ecológico. 1981. Tao Editora.

 

* Arnaldo V. Carvalho pratica Shiatsu há quase duas décadas, profissionalmente e com sua família. Já ensinou e atendeu em diversos países incluindo Portugal, Espanha, Itália, Grécia, Japão, EUA, e em dezenas de cidades de norte a sul do Brasil. É membro da Associação Brasileira de Shiatsu (ABRASHI) o Sindicato de Acupuntura e Terapias Afins do Rio de Janeiro (SINDACTA). Seu livro Shiatsu Emocional foi publicado em 2009. Maiores informações em www.arnaldovcarvalho.com ou www.shiatsuemocional.com.br.